domingo, 24 de novembro de 2013

A pseudociência de Deepak Chopra

por Felipe Nogueira

Se eu tivesse que escolher uma pessoa como ícone da pseudociência, essa pessoa seria Deepak Chopra. Todas as vezes que eu ouvi Chopra, ele usou termos científicos de forma errada diversas vezes - parece que o termo quântico não pode ficar de fora - combinados com idéias religiosas/supernaturais. Quando é possível extrair algum significado do que ele está falando, normalmente contém erros científicos. 

Chopra tem propagado a noção de "medicina quântica" ou "cura quântica". A palavra quântica vem de mecânica quântica, que descreve o comportamento da matéria em escalas microscópicas. Em outras palavras, efeitos quânticos são significantes em escalas muito pequenas e, numa escala muito maior que a atômica, efeitos quânticos desaparecem e não são percebidos. Então, não existe isso de "medicina quântica".

Recentemente, o renomado biólogo evolucionário Richard Dawkins debateu com Deepak Chopra. O debate está no Youtube. É impressionante como Deepak Chopra não consegue responder adequadamente uma pergunta, ou comentar sobre uma determinada questão, sem mudar o assunto, sem usar termos científicos fora de seus contextos. Dawkins mencionou isso diversas durante o debate e ressaltou um dos incorretos usos da palavra "quântica" feitos por Chopra: 
Você usou a frase "salto quântico" aplicada à origem da linguagem, origem da vida e pulos nos registros fósseis. Isso é apenas um uso metafórico do termo salto quântico. Você está usando o termo para uma mudança que ocorreu no mundo que ainda não temos explicação. Por outro lado, você usou a palavra quântica no adequado sentido físico. Você falou de informação digital indo para satélite. Nesse caso, você estava falando sobre teoria quântica no verdadeiro sentido de mecânica quântica. Você está enganando as pessoas ao usar quântico em dois sentidos completamente diferentes, dando a impressão que há algo sobre física moderna, sobre os aspectos estranhos da física moderna, para coisas como a origem da linguagem, origem da vida e quebras no registros fósseis. Essas três coisas - origem da vida, origem da linguagem e quebras nos registros fósseis - são problemas científicos que ainda não respondemos; ainda estamos trabalhando neles. Eles não tem absolutamente nada a ver com o termo quântico no sentido físico.
Outros cientistas também criticaram Chopra. Apenas há alguns dias, o biólogo evolucionário Jerry Coyne fez o seguinte comentário sobre Chopra
ele é um pseudocientista, mostrando todas as características desse gênero, inclusive o uso de um jargão sem sentido que soa profundo, a recusa de discutir seriamente suas visões, e a noção de que é perseguido "pelo estabelecimento".
Em um debate na Caltech, o psicólogo Michael Shermer e o neurocientista Sam Harris debateram contra Chopra (e a escritora Jean Houston). Shermer disse o seguinte sobre o modo de falar do Chopra:
juntando, num padrão rápido, um monte de palavras que soam científicas misturadas com palavras espirituais da Nova Era... não quer dizer nada.  
Um das coisas interessantes sobre esse debate na Caltech é que Chopra pede para um físico na platéia falar em sua defesa. Na sessão de perguntas e respostas, o moderador o debate reconheceu o físico teórico Leonard Mlodinow na platéia e pede para ele fazer uma pergunta. Se as críticas de Shermer e Harris não foram suficientes para aquele dia, Mlodinow resolveu a questão claramente (disponível aqui):
Você [Chopra] gostaria de fazer um curso pequeno em mecânica quântica para que possamos corrigir seu uso levemente errado da notação quântica?*
Mlodinow não foi o único físico a criticar Chopra. Em uma coluna na Scientific American, o renomado cosmologista Lawrence Krauss comentou que Chopra é um dos piores abusadores da mecânica quântica para o lucro. Krauss também disse o seguinte Chopra:
Eu tenho lido inúmeros textos dele sobre como mecânica quântica provê racionalidades para tudo desde a existência de Deus até a possibilidade de mudar o passado. Nada que eu tenha lido, entretanto, sugere que ele tem conhecimento suficiente de mecânica quântica para passar em curso de graduação que eu possa lecionar no assunto.  
A pseudociência de Chopra vai além disso. Ele também diz que o universo tem propósito e consciência. De acordo com Chopra, até átomos e partículas subatômicas têm consciência; evolução é orientada pela consciência. É claro que dizer essas coisas não as torna verdades e Chopra não oferece nenhuma evidência para suas afirmações. No debate recente, Dawkins explicou que alguns organismos têm propósito, por conhecidas razões evolucionárias, mas isso não quer dizer que o universo propriamente dito tem propósito. Alguns organismos também têm consciência, mas isso não é verdade para átomos, fótons, elétrons e universo, porque consciência é originada no cérebro. E a evolução deu origem a consciência, então não pode ser guiada por ela.

Acho que a seguinte contradição é bem evidente. Quando um cientista diz que não há evidências para o sobrenatural (Deus, vida após morte, almas e fantasmas, etc), alguns religiosos/espirituais, Chopra inclusive, dizem que a ciência não tem e não pode ter todas as respostas, porque a metodologia da ciência é incompleta. Porém, isso não os impede de usar termos científicos. Parece que ter a crença religiosa e rezar para o Deus deles não são suficientes: eles insistem desesperadamente que a religião deles é apoiada pela ciência, quando não é. 

A importância de mencionar essas coisas é que o entendimento cientifico já está comprometido; Chopra está fornecendo explicações erradas, as pessoas caem, compram e propagam essas idéias sem sentido. Por exemplo, mecânica quântica é, de fato, altamente não intuitiva e estranhas coisas acontecem o tempo todo, mas acontecem, como eu disse, em escalas microscópicas. Entretanto, muitas pessoas acreditam que a mecânica quântica está associada com religião, sobrenatural, espiritualidade, meditação ou misticismo. Essas pessoas estão simplesmente erradas.** Em uma entrevista sobre essas pseudociências relacionadas com mecânica quântica, Krauss é bem claro
mecânica quântica, para melhor ou pior, não trás nenhum benefício espiritual a mais que a gravidade.
Deixar afirmações falsas, como essas feitas por Chopra, espalhar sem críticas é um desserviço para a ciência e falhar em reconhecer a importância do entendimento científico na nossa sociedade. O "obscurantismo intencional" que Chopra tem feito é exatamente o que Dawkins falou no final do debate: "o inimigo da verdade e da ciência."  

--------------------
* A discussão entre Shermer, Mlodinow e Chopra não terminou aí e eles tiveram em um debate na Chapman University. O confronto entre Mlodinow e Chopra deu origem ao livro Ciência x Espiritualidade. Dois Pensadores, Duas Visões de Mundo coautorado por ambos. Quando eu fiquei sabendo desse livro, eu pensei que poderia dar um crédito não merecido ao Chopra, embora presumi que Mlodinow iria mostrar a confusão que Chopra faz com frequência. De fato, a parte do Mlodinow é boa e eu recomendo o livro quando eu quero mostrar como um cientista pensa e algumas contradições entre ciência e idéias religiosas (ou espirituais). 

** Se você é uma dessas pessoas, você deveria considerar aperfeiçoar o seu conhecimento cientifico. Por exemplo, se quiser saber mais sobre mecânica quântica, você pode tentar a excelente explicação do físico teórico Sean Carroll disponível em inglês aqui, ou em português aqui  Para uma explicação em português, o livro Quem Tem Medo da Física Quântica do físico brasileiro Ramayana Gazzinelli é excelente.   

--
ATUALIZAÇÃO -  02/11/2016: 

1)  No dia 29/10/2016, foi divulgado a escolha de Deepak Chopra como "speaker" numa conferência de autismo.  Em relação à tal escolha, o site de notícias CBC news perguntou a opinião de Timothy Caulfield, que disse o seguinte: 
 
"Chopra é o ícone da pseudociência"

"Ele [Chopra] é como o grande deseducador. Ele legitimiza essas ideias que não possuem base científica e faz com que se pareçam científicas. Ele é realmente uma fonte de um jargão sem sentido"

"Eu acho que nós, como sociedade, precisamos ser incrivelmente suspeitos de pessoas que estão tentando distorcer a ciência para favorecer uma perspectiva que não possui nenhuma evidência por trás."

2) Eu e Iran Filho, um dos colaboradores do Universo Racionalista, traduzimos a excelente introdução de física quântica do Sean Carroll e está disponível aqui. A nota acima foi atualizada. 
    


11 comentários:

  1. “Se a ciência provar que algum preceito budista é incorreto ele deve mudar” (Dalai Lama).

    ResponderExcluir
  2. “Se a ciência provar que algum preceito budista é incorreto ele deve mudar” (Dalai Lama).

    ResponderExcluir
  3. A propositura do debate entre Richard e Deepak pela CDI, era manter um nível de diálogo amistoso que permitisse aos presentes conhecerem o pensamento de ambos. Em minha opinião o Richard não entendeu essa proposta mantendo-se em atitude ofensiva para desacatar e ofender o oponente. Em retaliação foi colocado na defensiva em diversas ocasiões, tendo que admitir que o seu “modelo científico” tem muitos furos e deixa muito a desejar. Aos que não entendem o inglês e desejarem conferir pessoalmente, informo estar disponível uma versão traduzida do encontro com o nome Debate Richard e Deepak com legendas em português.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vi o debate completo. Não vi esses momentos que você descreveu onde o Dawkins teria admitido que o "modelo científico" tem muitos furos e deixa muito a desejar. Se você puder, coloque o link e o tempo em que ele diz isso.
      Na realidade, como ele e muitos já falaram, o método científico é o melhor que temos para entender como o universo funciona.

      Realmente, recomendo a todos a verem o debate... fica claro como o Deepak Chopra tenta utilizar palavras científicas para ter credibilidade daquilo que ele está falando. O problema é que muita das pessoas que lêem o Chopra não sabem o que é mecânica quântica de fato. Grande parte do que o Chopra diz não faz sentido. Quando tem sentido, muito provavelmente está errado, como por exemplo suas afirmações repetidas de "cura quântica". Em uma entrevista, o próprio Chopra admitiu que esse termo "cura quântica" foi pego emprestado e que de "quântica" não tem nada, é apenas uma analogia: https://www.youtube.com/watch?v=jfVIl1UUQns

      Há um tempo, Chopra chegou a negar que HIV causa AIDS e indicou que as pessoas com HIV/AIDS não fizessem tratamento. É um absurdo um médico falar esse tipo de coisa; está completamente contrário as evidências de diversos estudos que temos com pacientes com HIV/AIDS.

      Excluir
    2. Eu vi o debate completo. Não vi esses momentos que você descreveu onde o Dawkins teria admitido que o "modelo científico" tem muitos furos e deixa muito a desejar. Se você puder, coloque o link e o tempo em que ele diz isso.
      Na realidade, como ele e muitos já falaram, o método científico é o melhor que temos para entender como o universo funciona.

      Realmente, recomendo a todos a verem o debate... fica claro como o Deepak Chopra tenta utilizar palavras científicas para ter credibilidade daquilo que ele está falando. O problema é que muita das pessoas que lêem o Chopra não sabem o que é mecânica quântica de fato. Grande parte do que o Chopra diz não faz sentido. Quando tem sentido, muito provavelmente está errado, como por exemplo suas afirmações repetidas de "cura quântica". Em uma entrevista, o próprio Chopra admitiu que esse termo "cura quântica" foi pego emprestado e que de "quântica" não tem nada, é apenas uma analogia: https://www.youtube.com/watch?v=jfVIl1UUQns

      Há um tempo, Chopra chegou a negar que HIV causa AIDS e indicou que as pessoas com HIV/AIDS não fizessem tratamento. É um absurdo um médico falar esse tipo de coisa; está completamente contrário as evidências de diversos estudos que temos com pacientes com HIV/AIDS.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Com o referencial já fornecido você o teria encontrado no youtube ou no Google. O nome completo é: Debate materialismo e espiritualismo com Richard Dawkins e Deepak Chopra com legendas em portugues. Procure as partes onde o Dawkins reconhece não ter respostas e quando solicita que os presentes aceitem a sua promessa de que elas serão fornecidas algum dia.

      Excluir
  4. Com o referencial já fornecido você o teria encontrado no youtube ou no Google. O nome completo é: Debate materialismo e espiritualismo com Richard Dawkins e Deepak Chopra com legendas em portugues. Procure as partes onde o Dawkins reconhece não ter respostas e quando solicita que os presentes aceitem a sua promessa de que elas serão fornecidas algum dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ciência não tem resposta de tudo, isso é bastante claro. Há várias coisas sendo pesquisadas, como o que é matéria escura, ou a física além do modelo padrão (o que foi sugerido por recentes dados do LHC).
      No entanto, isso não é evidência de que Chopra ou algum outro religioso está correto. Muito pelo contrário. Chopra e outros "pseudocientistas" afirmam coisas que contrariam as evidências que temos hoje. Não precisamos saber tudo para saber que o Chopra está falando besteira. Você cobra que a ciência saiba tudo do Universo, mas não cobra absolutamente nada em termos de evidência do Chopra e adeptos. E diferente de Chopra, que afirma coisas que ele não sabe, Dawkins e cientistas *não* afirmam que a ciência já desvendou tudo.

      Excluir
    2. Diversos estudos já comprovaram que quando duas ou mais pessoas observam ou vivem uma situação, elas veem ou deduzem coisas diferentes. Nós vivemos uma interpretação pessoal da “realidade” sob a influência dos nossos medos e da necessidade de segurança. A transcendência mencionada no vídeo é um processo de morte e renascimento dessa realidade. Mas ela somente ocorre de dentro para fora e sempre no limite de cada um. É o que os místicos e religiosos denominam “livre arbítrio” e que foi utilizado pelo próprio Dawkins para fundamentar o seu livro Ausência de Deus. A informação sobre a existência do vídeo traduzido é uma oportunidade de transcendência que oferece a oportunidade de releitura. Siga no seu próprio ritmo e boa sorte.

      Excluir